Espiritualidade de famílias com um ente querido em situação de final de vida

Marcelo Miqueletto, Lucía Silva, Crislaine Barros Figueira, Maiara Rodrigues dos Santos, Regina Szylit, Carolliny Rossi de Faria Ichikawa

Resumen


Introdução: O cuidado no final da vida deve ser marcado pela revalorização da dimensão espiritual. Objetivo: Compreender o papel da espiritualidade na vida de famílias que possuem um ente em situação de final de vida. Materiais e Métodos: Pesquisa qualitativa, realizada com quinze familiares de pacientes com doenças graves atendidos na rede de atenção primária à saúde de São Paulo, Brasil, por meio de entrevistas semiestruturadas. Os dados foram organizados e analisados conforme as figuras metodológicas da técnica do Discurso do Sujeito Coletivo. Resultados: A espiritualidade apresenta um papel singular para as famílias, visto que ajuda a conferir sentido às experiências de vida, sobretudo àquelas diretamente envolvidas com a doença e com a morte. Entretanto, não encontram espaço para a expressão dessas questões com os profissionais de saúde, com quem deveriam apresentar vínculo e corresponsabilidade para o cuidado pautado pela integralidade. Discussão e Conclusões: Estas famílias reconhecem a espiritualidade enquanto elemento fortalecedor diante das dificuldades enfrentadas com o adoecimento, mas dependem fortemente da disponibilidade da equipe para incrementar sua experiência. 

Cómo citar este artículo: Miqueletto M, Silva L, Figueira CB, Santos MR, Szylit R, Ichikawa CRF. Espiritualidade de famílias com um ente querido em situação de final de vida. Rev Cuid. 2017; 8(2): 1616-27. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v8i2.391


Palabras clave


Espiritualidade; Religião; Família; Cuidados Paliativos; Morte.

Referencias


Britto SMC, Ramos RS, Santos EI, Veloso OS, Silva AM, Mariz GA. Representação social dos enfermeiros sobre cuidados paliativos. Rev Cuid. 2015; 6(2): 1062-9. https://doi.org/10.15649/cuidarte.v6i2.170

Pessini L. Bioética, espiritualidade e a arte de cuidar em saúde. O Mundo Saúde. 2010; 34(4): 457-65.

Silva L, Bousso RS, Galera SAF. Living with a dependent elderly from the family’s perspective: a qualitative study. Online Braz J Nurs. 2010; 9(1). http://dx.doi.org/10.5935/1676-4285.20102887

Ross L, Van Leeuwen R, Baldacchino D, Giske T, McSherry W, Narayanasamy A, et al. Student nurses perceptions of spirituality and competence in delivering spiritual care: a European pilot study. Nurse Educ Today. 2014; 34(5): 697-702. https://doi.org/10.1016/j.nedt.2013.09.014

Alves D, Silva L, Delmondes G, Lemos IC, Kerntopf MR, Albuquerque G. Cuidador de criança com câncer: religiosidade e espiritualidade como mecanismos de enfrentamento. Rev Cuid. 2016; 7(2): 1318-24. https://doi.org/10.15649/cuidarte.v7i2.336

McSherry W, Jamieson S. The qualitative findings from an online survey investigating nurses' perceptions of spirituality and spiritual care. J Clin Nurs. 2013; 22(21-22): 3170-82. https://doi.org/10.1111/jocn.12411

Silva L, Bousso RS, Santos MR, Sá NN, Misko MD, Damião EBC. Provision of primary health care for end of life older aged patients and their families: a qualitative study. International Journal of Nursing. 2015; 2(1): 120-7. https://doi.org/10.15640/ijn.v2n1a13

Neergaard MA, Olesen F, Andersen RS, Sondergaard J. Qualitative description: the poor cousin of health research?. BMC Med Res Methodol. 2009; 9:52.

Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Saúde (2012). Resolução n. 466/2012. Normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos.

Lefèvre F, Lefèvre AMC, Teixeira JJV, Vieira J. O discurso do sujeito coletivo: uma nova abordagem metodológica em pesquisa qualitativa. Caxias do Sul (RS): EDUCS. 2000;138 p.

Tong A, Sainsbury P, Craig J. Consolidated criteria for reporting qualitative research (COREQ): a 32-item checklist for interviews and focus groups. Int J Qual Health Care. 2007; 19(6): 349-57. https://doi.org/10.1093/intqhc/mzm042

Mota C, Trad LAB, Villas-Boas MJVB. O papel da experiência religiosa no enfrentamento de aflições e problemas de saúde. Interface (Botucatu). 2012; 16(42): 665-75. https://doi.org/10.1590/S1414-32832012000300007

Balboni MJ, Sullivan A, Amobi A, Phelps AC, Gorman DP, Zollfrank A, et al. Why is spiritual care infrequent at the end of life? Spiritual care perceptions among patients, nurses, and physicians and the role of training. J Clin Oncol. 2013; 31(4): 461-7. https://doi.org/10.1200/JCO.2012.44.6443

Wiegand DL, Macmillan J, Santos MR, Bousso RS. Palliative and end of life ethical dilemmas in the intensive care unit. AACN Advanced Critical Care. 2015; 26: 142-50. https://doi.org/10.1097/NCI.0000000000000085

Baliza MF, Bousso RS, Poles K, Santos MR, Silva L, Paganini MC. Factors influencing Intensive Care Units nurses in end of life decisions. Revista da Escola de Enfermagem da USP. 2015; 49(4): 572-9. https://doi.org/10.1590/S0080-623420150000400006

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo 2010. Brasil; 2010 [cited 2016 jul 1]. Disponível em: http://censo2010.ibge.gov.br/resultados.html

Evangelista CB, Lopes MEL, Costa SFG, Abrão FMS, Batista PSS, Oliveira RC. Spirituality in patient care under palliative care: A study with nurses. Esc Anna Nery. 2016; 20(1): 176-182. https://doi.org/10.5935/1414-8145.20160023

Murakami R, Campos CJG. Religião e saúde mental: desafio de integrar a religiosidade ao cuidado com o paciente. Rev Bras Enferm. 2012; 65(2): 361. https://doi.org/10.1590/S0034-71672012000200024

Ortiz YG, Lindarte AA, Jiménez MA, Vega OM. Características sociodemográficas asociadas a la sobrecarga de los cuidadores de pacientes diabéticos en Cúcuta. Rev Cuid. 2013; 4 (1): 459-66. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v4i1.5




DOI: http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v8i2.391

Métricas de artículo

Cargando métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Copyright (c) 2017 Revista CUIDARTE

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional.