Imagen de portada

Influência da religiosidade/espiritualidade do profissional de saúde no cuidado ao paciente crítico

Agnes Claudine Fontes De La Longuiniere, Sérgio Donha Yarid, Edson Carlos Sampaio Silva

Resumen


Introdução: Estudos comprovam que práticas espirituais melhoram a saúde mental, qualidade de vida e relação interpessoal das pessoas. Para os profissionais de saúde, isto possibilita melhor enfrentamento do estresse no trabalho com consequente melhoria no bem estar e maior satisfação. Este estudo tem como objetivo verificar se a religiosidade/espiritualidade dos profissionais de saúde influencia no cuidado prestado ao paciente crítico. Materiais e Métodos: Estudo de caráter transversal com abordagem quantitativa, realizado com 53 profissionais que atuam em Unidades de Terapia Intensiva Adulto de uma cidade do interior do Brasil. Foi utilizado um questionário adaptado e a escala Spirituality Self Rating Scale, e realizada análise descritiva dos dados e de associação, utilizando o teste exato de Fisher com nível de significância de 5%. Resultados: Verificou-se que 77,4% da amostra eram do sexo feminino, com idade média de 37 anos, tempo médio de serviço de 11 anos e a maioria era evangélica/protestante. A maior parte dos profissionais apresentou espiritualidade elevada e informou que a sua religiosidade/espiritualidade influencia intensamente no entendimento do processo saúde-doença e na sua relação com o paciente crítico, além de modificar sua maneira de cuidar deste paciente. Discussão: Diversos estudos têm demonstrado que a religiosidade/espiritualidade pode ser capaz de gerar estado de calma e tranquilidade, melhorar a saúde física e mental, promover comportamentos e estilos de vida mais saudáveis, diminuindo o estresse e melhorando o relacionamento interpessoal. Conclusões: A religiosidade/espiritualidade dos profissionais que atuam na Unidade de Terapia Intensiva influencia no cuidado prestado ao paciente crítico.

Como citar este artigo: Longuiniere ACF, Yarid SD, Silva ECS. Influência da religiosidade/espiritualidade do profissional de saúde no cuidado ao paciente crítico. Rev Cuid. 2018; 9(1): 1961-72. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v9i1.413


Palabras clave


Espiritualidade; Religião; Unidades de Terapia Intensiva; Pessoal de Saúde.

Referencias


Bonelli RM, Koenig HG. Mental disorders, religion and spirituality 1990 to 2010: a systematic evidence-based review. J Relig Health. 2013; 52(2): 657-73. https://doi:10.1007/s10943-013-9691-4

Koenig HG. Religion, spirituality, and health: the research and clinical implications. ISRN Psychiatry. 2012. http://dx.doi.org/10.5402/2012/278730

Gobatto CA, Cavalcanti TCFA. Religiosidade e Espiritualidade em Oncologia: Concepções de Profissionais da Saúde. Psicologia USP. 2013; 24(1): 11-34. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-65642013000100002

Guerrero GP, Zago MMF, Sawada NO, Pinto MH. Relação entre espiritualidade e câncer: perspectiva do paciente. Rev Bras Enferm, Brasília. 2011; 64(1): 53-9.

http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672011000100008

Koenig H, King D, Carson VB. Hand book of religion and health. 2ª ed. Oxford: University Press: 2012.

Schleder LP, Parejo LS, Puggina AC, Silva MJP. Espirituality of relatives of patients hospitalized in intensive care unit. Acta Paul Enferm. 2013; 26(1): 71-8. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002013000100012

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 3432 de 12 de agosto de 1998. Estabelece critérios de classificação para as Unidades de Tratamento Intensivo. DOU Nº 154. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/1998/prt3432_12_08_1998.html

Silveira RS, Funck CR, Lunardi VL, Silveira JT, Avila LI, Filho WDL, et al. Percepção dos trabalhadores de enfermagem acerca da satisfação no contexto do trabalho na UTI. Enfermagem em Foco. 2012; 3(2): 93-6.

https://doi.org/10.21675/2357-707X.2012.v3.n2.262

Oliveira MR, Junges JR. Saúde mental e espiritualidade/religiosidade: a visão de psicólogos. Estud. Psicol. 2012; 17(3): 469-76. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-294X2012000300016

Brasil. Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). DATASUS. 2013. Disponível em:

http://cnes.datasus.gov.br/cabecalho_reduzido.asp?VCod_Unidade=2918002400693

Lucchetti G, Oliveira LR, Koenig HG, Leite JR, Lucchetti ALG. Medical Students, Spirituality and Religiosity-results from the Multicenter Study SBRAME. BMC Medical Education. 2013; 13: 162. https://doi.org /10.1186/1472-6939-15-85

Gonçalves AMS. Pillon SC. Adaptação transcultural e avaliação da consistência interna da versão em português da Spirituality Self Rating Scale (SSRS). Rev. Psiq Clín. 2009; 36(1): 10-5. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-60832009000100002

Conselho Federal de Medicina. Pesquisa Demográfica Médica no Brasil. 2011. Disponível em: http://portal.cfm.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=22508:estudo-de-demografia-medica-no-brasil-aponta-desigualdade-na-distribuicao-de-profissionais-em-todo-o-pais&catid=3

Conselho Federal de Enfermagem. Perfil da Enfermagem na Bahia. 2015. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/cofen-lanca-perfil-da-enfermagem-na-bahia_31985.html

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2010. Disponível em:

http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/caracteristicas_religiao_deficiencia/caracteristicas_religiao_deficiencia_tab_pdf.shtm

Espinha DCM, Camargo SM, Silva SPZ, Pavelqueires S, Lucchetti G. Nursing Students’ Opinions about Health, Spirituality and Religiosity. Rev Gaúcha Enferm. 2013; 34(4): 98-106. http://dx.doi.org/10.1590/S1983-14472013000400013

Arrieira, ICO, Thofehrn MB, Porto AR, Palma JS. Espiritualidade na equipe interdisciplinar que atua em cuidados Paliativos às pessoas com câncer. Ciência, Cuidado e Saúde. 2011; 10(2): 314-21. https://doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v10i2.15689

Paal P, Roser T, Frick E. Spiritual care training provided to healthcare professionals: a systematic review. J Pastoral Care Counsel. 2015: 69(1): 19-30. https://doi.org/10.1177/154230501557295

Penha RM, Silva MJP. Meaning of Spirituality for Critical Care Nursing. Texto & Contexto-Enfermagem. 2012; 21(2): 260-8. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072012000200002

Oliveira GR, Neto JF, Salvi MC, Camargo SM, Evangelista JL, Espinha DCM, et al. Saúde, espiritualidade e ética: a percepção dos pacientes e a integralidade do cuidado. Rev Bras Clin Med. 2013; 11(2): 140-4.

Miqueletto M, Silva L, Figueira CB, Santos MR, Szylit R, Ichikawa CRF. Espiritualidade de famílias com um ente querido em situação de final de vida. Rev Cuid. 2017; 8(2): 1616-27. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v8i2.391

Alves D, Silva L, Delmondes G, Lemos IC, Kerntopf MR, Albuquerque G. Cuidador de criança com câncer: religiosidade e espiritualidade como mecanismos de enfrentamento. Rev Cuid. 2016; 7(2): 1318-24. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v7i2.336

Moyo M, Goodyear-Smith FA, Weller J, Robb G, ShulrufB. Healthcare practitioners’ personal and professional values. Adv in Health Sci Educ. 2016; 21(2): 257-86. https://doi.org/10.1007/s10459-015-9626-9

Nascimento LC, Santos TFM, Oliveira FCS, Pan R, Santos MF, Rocha SMM. Spirituality and Religiosity in the Perspectives of Nurses. Text Context Nursing. 2013; 22(1): 52-60. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072013000100007

Ramakrishnan P, Karimah A, Kuntaman K, Shukla A, Ansari BK, Rao PH, et al. Religious/spiritual characteristics of Indian and Indonesian physicians and their acceptance of spirituality in healthcare: a cross-cultural comparison. J Relig Health. 2015; 54(2): 649-63. https://doi.org/10.1007/s10943-014-9906-3

Koinis A, Giannou V, Drantaki V, Angelaina S, Stratou E, Saridi M. The Impact of Healthcare Workers Job Environment on Their Mental-emotional Health. Coping Strategies: The Case of a Local General Hospital. Health Psychol Res. 2015; Apr 13; 3(1): 1984. https://doi.org/10.4081/hpr.2015.1984

Kumar V, Kumar S. Workplace Spirituality as a Moderator in Relation between Stress and Health: An Exploratory Empirical assessment. International Review Of Psychiatry. 2014; 26(3): 344-51. https://doi.org/10.3109/09540261.2014.924909

Bautista LM, Arias MF, Carreño ZO. Percepción de los familiares de pacientes críticos hospitalizados respecto a la comunicación y apoyo emocional. Rev Cuid. 2016; 7(2): 1297-1309. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v7i2.330


Métricas de artículo

Cargando métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Copyright (c) 2018 Revista CUIDARTE

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional.