Imagen de portada

Capacidade funcional de idosos atendidos pelo programa saúde da família em Benevides, Brasil

Fabianne de Jesus Dias de Sousa, Lucia Hisako Takase Gonçalves, Mônica Antar Gamba

Resumen


Introdução: O processo de envelhecimento pode comprometer a capacidade funcional do idoso afetando sua autonomia/independência e, consequentemente a qualidade de vida. O objetivo desse estudo foi descrever a capacidade funcional de idosos atendidos pelo programa saúde da família da região Norte do Brasil. Materiais e Métodos: Estudo quantitativo, transversal realizado com 130 idosos residentes em áreas urbana e rural atendidos pela Saúde da Família. Avaliou-se capacidade funcional por meio do Brazilian Version of Older Multidimensional Functional Assessment Questionnaire. A análise dos dados se realizou por estatística descritiva e análise inferencial através dos testes estatísticos Qui-quadrado de Pearson e Mann-Whitney, considerando o nível de significância ≤ 0,05. Resultados: Houve predomínio de mulheres idosas (57,7%), casadas (47,7%) apresentando baixo nível de escolaridade (59,2%). A amostra apresentou algum grau de incapacidade funcional entre os idosos da área urbana (78,4%) e rural (84,3%). Discussão: A capacidade funcional dos idosos deve ser preservada com ações em saúde uma vez que se caracteriza por um forte preditor da qualidade de vida. Conclusões: A boa capacidade funcional confere melhor qualidade de vida em idosos sendo condição para proporcionar um envelhecimento ativo.  Avaliar à miúdo capacidade funcional dos idosos torna-se essencial para controle e manutenção do envelhecimento ativo e saudável.

Como citar este artigo: Sousa FJD, Gonçalves LHT, Gamba MA. Capacidade funcional de idosos atendidos pelo programa saúde da família em Benevides, Brasil. Rev Cuid. 2018; 9(2): 2135-44. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v9i2.508


Palabras clave


Idoso; Incapacidade; Enfermagem em Saúde Comunitária; Saúde da Família.

Referencias


Brito KQD, Menezes TN, Olinda RA. Functional disability and socioeconomic and demographic factors in elderly. Rev. Bras. Enferm. 2015; 68(4): 633-41. http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167.2015680409i

Santos GLA, Santana RF, Broca PV. Capacidade de execução das atividades instrumentais de vida diária em idosos: Etnoenfermagem. Esc. Anna Nery. 2016; 20(3): e20160064. http://dx.doi.org/10.5935/1414-8145.20160064

Ramos LR, Andreoni S, Coelho-Filho JM, Lima-Costa MF, Matos DL, Rebouças M. Perguntas mínimas para rastrear dependência em atividades da vida diária em idosos. Rev. Saúde Pública. 2013; 47(3): 506-13. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-8910.2013047004325

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº. 2.528, de outubro de 2006. Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa. Diário Oficial da União 20 de outubro de2006; Seção 1. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2006/prt2528_19_10_2006.html

Wendt CJK, Aires M, Paz AA, Fengler FL, Paskulin LMG. Elderly families of South of Brazil in the Health Strategy. Rev Bras Enferm. 2015; 68(3): 350-7. http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167.2015680305i

Pinto AH, Lange C, Pastore CA, Llano de PMP, Castro DP, Santos F. Functional capacity to perform activities of daily living among older persons living in rural areas registered in the Family Health Strategy. Ciência & Saúde Coletiva. 2016; 21(11):3545-55. https://doi.org/10.1590/1413-812320152111.22182015

Elm EV, Altman DG, Egger M, Pocock SJ, Gøtzsche PC, Vandenbroucke JP. The Strengthening the Reporting of Observational Studies in Epidemiology (STROBE) statement: guidelines for reporting observational studies. The Lancet. 2007; 370 (9596):1453-57. https://doi.org/10.1016/S0140-6736(07)61602-X

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Censo Demográfico. Rio de Janeiro: IBGE; 2016.

Bolfarine H, Sandoval MC. Introdução à Inferência Estatística. Rio de Janeiro: SBM; 2011.

Ramos LR, Rosa TE da C, Oliveira ZM, Medina MCG, Santos FRG. Perfil do idoso em área metropolitana na região sudeste do Brasil: resultados de inquérito domiciliar. Rev. Saúde Pública. 1993; 27(2): 87-94. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101993000200003

Barbosa KTF, Costa K, Macêdo NF, Pontes MLF, Batista PSS, Oliveira FMRL, et al. Envelhecimento e vulnerabilidade individual: um panorama dos idosos vinculados à estratégia saúde da família. Texto contexto - enferm. 2017; 26(2): e2700015. http://dx.doi.org/10.1590/0104-07072017002700015

Gavasso WC, Beltrame V. Capacidade funcional e morbidades referidas: uma análise comparativa em idosos. Rev. bras. geriatr. gerontol. 2017; 20(3): 398-08. http://dx.doi.org/10.1590/1981-22562017020.160080

Duarte MCS, Fernandes MGM, Rodrigues RAP, Nóbrega MML. Prevalência e fatores sócio econômicos associados à fragilidade em mulheres idosas. Rev Bras Enferm. 2013; 66(6): 901-6. https://doi.org/10.1590/S0034-71672013000600014

Ferreira AP. Capacity and performance for the realization of basic activities of daily living (basic and instrumental) in elder dependents. Rev. baiana saúde pública. 2015; 39(1). http://dx.doi.org/10.5327/Z0100-0233-2015390100004

Britto TA, Fernandes MH, Coqueiro RS, Jesus CS. Quedas e capacidade funcional em idosos longevos residentes em comunidade. Texto & Contexto Enferm. 2013; 22(1): 43-51.

Lourenço TM, Lenardt MH, Kletemberg DF, Seima MD, Tallmann AEC, Neu D, K M. Capacidade funcional no idoso longevo: uma revisão integrativa. Rev. Gaúcha Enfer. 2012; 33(2): 176-85. http://dx.doi.org/10.1590/S1983-14472012000200025

Quijada PDS, Fernandes PA, Ramos SB, Santos BMO. Qualidade de vida relacionada à saúde de pacientes com câncer de próstata. Rev Cuid. 2017; 8(3): 1826-38. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v8i3.436

Pletsch LE, Dallepiane, LB, Kirchner RM, Anacleto SLA, Silva P, FK, J, Gopinger E, Martinazzo CJ. Perfil sociodemográfico e de hábitos de vida da população idosa de um município da região norte do Rio Grande do Sul, Brasil. Rev Bras de Geriat e Gerontol. 2014;17(2): 303-14. https://doi.org/10.1590/S1809-98232014000200008

Tavares DMS, Fachinelli AMP, Dias FA, Bolina AF,Paiva MM. Preditores da qualidade de vida de idosos urbanos e rurais. Rev Baiana Enferm. 2015; 29(4): 361-71. https://doi.org/10.18471/rbe.v29i4.13359

Feng MA, McMillan DT, Crowell K, Muss H, Nielsen ME, Smith AB. Geriatric assessment in surgical oncology: A systematic review. J Surg Res. 2015; 193(1): 265-72. https://doi.org/10.1016/j.jss.2014.07.004

Wang H, Chen K, Pan Y, Jing F, Liu H. Associations and impact factors between living arrangements and functional disability among older Chinese adults. PLoS One. 2013; 8(1): e53879. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0053879

Marinho CLA, Oliveira JF, Borges JES, Fernandes FECV, Silva RS. Associação entre características sociodemográficas e qualidade de vida de pacientes renais crônicos em hemodiálise. Rev Cuid. 2018; 9(1): 2017-29. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v9i1.483

Ribeiro CG, Ferretti F, Sá CA. Qualidade de vida em função do nível de atividade física em idosos urbanos e rurais. Rev. bras. geriatr. gerontol. 2017; 20(3): 330-9. http://dx.doi.org/10.1590/1981-22562017020.160110.

Bautista LM, Arias MF, Carreño ZO. Percepción de los familiares de pacientes críticos hospitalizados respecto a la comunicación y apoyo emocional. Rev Cuid. 2016; 7(2): 1297-1309. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v7i2.330

Ferreira OGL, Maciel SC, Costa SMG, Silva AO, Moreira MASP. Envelhecimento ativo e sua relação com a independência funcional. Texto Contexto Enferm. 2012; 21(3). http://www.scielo.br/pdf/tce/v21n3/v21n3a04

Tavares DMS, Ferreira Pollyana CS, Dias FA, Oliveira PB. Characterization and spatial distribution of male octogenarians. Rev enferm. 2016; 22(4): 558-64.


Métricas de artículo

Cargando métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Copyright (c) 2018 Revista Cuidarte

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional.