Imagen de portada

Nível de atividade física em pessoas com diabetes mellitus tipo 2

Flávia Cristiane Kolchraiber, Jusceline de Souza Rocha, Denise Jovê César, Odete de Oliveira Monteiro, Giovana Andrade Frederico, Mônica Antar Gamba

Resumen


Introdução: O estilo de vida tem se destacado como importante causa para as principais doenças crônicas, como o diabetes mellitus tipo 2, por causar alterações fisiológicas crônicas que tendem a se agravar à medida que o indivíduo envelhece. Comparou-se o nível de atividade física realizada por pessoas com diabetes mellitus tipo 2 na atenção básica e unidade especializada. Materiais e Métodos: Estudo descritivo, de corte transversal, com análise comparativa. Aplicaram-se questionários semiestruturado e o validado Internacional de Atividade Física, submetidos e comparados por análise estatística com os testes do Qui-quadrado de Pearson e t student. Resultados: A idade média dos usuários foi 59 anos, predominância sexo feminino e não praticantes de atividade física. Valores glicêmicos obtidos pelo exame da hemoglobina glicada foram, 8,1% em centro de referência e 9,6% em unidade básica de saúde (p=0,017), diferenciais de controle metabólico e distintas realidades de atendimento. Discussão: O nível de atividade física aliado a mudanças no estilo de vida e adesão terapêutica, é parte fundamental para o controle do diabetes e prevenção de complicações, devendo ser encorajadas pelos profissionais da saúde. Conclusoes: Melhor desempenho no nível de atividade física e melhor controle glicêmico de pessoas acompanhadas em centro especializado. Deve-se considerar ações de educação à saúde na perspectiva do cuidado integral na Rede de Atenção à Saúde, independente do tipo de serviço, como potencializadoras para o automonitoramento e controle do diabetes mellitus.

Como citar este artigo: Kolchraiber FC, Rocha JS, César DJ, Monteiro OO, Frederico GA, Gamba MA. Nível de atividade física em pessoas com diabetes mellitus tipo 2. Rev Cuid. 2018; 9(2): 2105-16. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v9i2.512


Palabras clave


Diabetes Mellitus; Atividade Motora; Enfermagem em Saúde Comunitária.

Referencias


American Diabetes Association. Standards of medical care in diabetes. Diabetes Care. 2017; 40 Suppl 1: S5-S17.

Church T. Exercise in obesity, metabolic syndrome, and diabetes. Prog Cardiovasc Dis. 2011; 53(6): 412-8. http://dx.doi.org/10.1016/j.pcad.2011.03.013

Umpierre D, Ribeiro PA, Kramer CK, Leitão CB, Zucatti AT, Azevedo MJ, et al. Physical activity advice only or structured exercise training and association with HbA1c levels in type 2 diabetes: a systematic review and meta-analysis. JAMA. 2011; 305(17): 1790-9. http://dx.doi.org/10.1001/jama.2011.576

Sánchez RT, Molina EM, Gómez-Ortega OR. Intervenciones de enfermería para disminuir la sobrecarga en cuidadores: un estudio piloto. Rev Cuid. 2016; 7(1): 1171-84. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v7i1.251

Diabetes Atlas Seventh Edition. International Diabetes Federation (IDF). Bruselas, Bélgica; 2015.

Faria HTG, Rodrigues FF, Zanetti ML, Araújo MFM, Damasceno MMC. Fatores associados à adesão ao tratamento de pacientes com diabetes mellitus. Acta Paul Enferm. 2013; 26(3): 231. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002013000300005

Cunha M, Chibante R, André S. Suporte social, empowerment e doença crónica. R. Port. Enferm. Saúde Mental. 2014; 1 (n.o esp.): 21- 6.

Leite ES, Lubenow JAM, Moreira MRC, Martins MM, Costa IP, Silva AO. Cienc Cuid Saude. 2015; 14(1): 822 - 9. http://dx.doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v14i1.21353

Arteaga A, Cogollo R, Muñoz D. Apoyo social y control metabólico en la diabetes mellitus tipo 2. Rev Cuid. 2017; 8(2): 1668-76. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v8i2.405

Pasqualotto KR, Alberton D, Frigeri HR. Diabetes mellitus e Complicações. J. Biotec. Biodivers. 2012; 3(4).

Batista F, Magalhães AA, Gamba M, Nery C, Cardoso C. Ten years of a multidisciplinary diabetic foot team approach in Sao Paulo, Brazil. Diabet Foot & Ankle. 2010; 1: 3. http://dx.doi.org/10.3402/dfa.v1i0.5203

Thomaz PMD, Costa THM, Silva E, Hallal PC. Fatores associados à atividade física em adultos. Rev. Saúde Pública. 2010; 44(5): 894-900. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102010005000027

Ramalho JR, Lopes ACS, Toledo MTT, Peixoto SV. Physical activity levels and factors associated with the sedentary lifestyle of users of a basic health unit in Belo Horizonte, Minas Gerais. Rev Min Enferm., 2014; 18(2). http://dx.doi.org/10.5935/1415-2762.20140032

Pardini R. Validação do questionário internacional de nível deatividade física (IPAQ - versão 6): estudo piloto em adultos jovens brasileiros. Rev. Bras. Ciên. e Mov. 2001; 9(3): 45-51.

The PLOS Medicine Editors. Observational Studies: Getting Clear about Transparency. PLOS Medicine. 2014. https://doi.org/10.1371/journal.pmed.1001711

Jurakić D, Pedišić Ž, Andrijašević M. Physical Activity of Croatian Population: Cross-sectional Study Using International Physical Activity Questionnaire. Croat Med J. 2009; 50 (2):165-73. http://dx.doi.org/10.3325/cmj.2009.50.165

Magalhães MN, Lima ACP. Noções de Probabilidade e Estatística. São Paulo: EDUSP; 2005.

Goulart FAA. Doenças Crônicas Não Transmissíveis: Estratégias de controle e desafios para os sistemas de saúde. Brasília. 2011. 34 p.

Ministério da Saúde, Brasil. Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Cadernos de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica. n. 35. Brasília; 2013.

Ministério da Saúde, Brasil. Portaria no 4279, de 30 de dezembro de 2010. Estabelece diretrizes para a organização da Rede de Atenção à Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Diário Oficial da União. 2010 dez.

Sousa N, Rehem T, Santos W Silva, Santos C. Internações sensíveis à atenção primária à saúde em hospital regional do Distrito Federal. Rev. Bras. Enferm., 2016; 69(1): 118-25. http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167.2016690116i

Borba AK, Marques AP, Ramos VP, Leal MC, Arruda Ilma KG, Ramos RS. Fatores associados à adesão terapêutica em idosos diabéticos assistidos na atenção primária de saúde. Ciênc. Saúde Coletiva. 2018; 23(3): 953-61. https://doi.org/10.1590/1413-81232018233.03722016

Ministério da Saúde, Brasil. Secretaria de Atenção à Saúde; Departamento de Atenção Básica. Cadernos de Atenção Básica, Diabetes Mellitus. n. 36. Brasília; 2013.

Oliveira PS, Bezerra EP, Andrade LL, Gomes PLF, Soares MJGO, Costa MML. Practice nurse family health strategy in the prevention of diabetic foot. J. res.: fundam. care. online. 2016; 8(3): 4841-9. http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2016.v8i3.4841-4849

Sociedade Brasileira de Diabetes, Brasil. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes (2015-2016). São Paulo; 2016.

Figueiredo WS, Schraiber LB. Male users' and primary care services health professionals' conceptions of gender and possible impacts on men's health, São Paulo, Brazil. Ciênc. Saúde Coletiva. 2011; 16 Suppl 1: 935-44. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232011000700025

Souza J, Baptista MH, Gomides D, Pace AE. Adherence to diabetes mellitus care at three levels of health care. Esc. Anna Nery. 2017; 21(4):1-9. http://dx.doi.org/10.1590/2177-9465-ean-2017-0045

Ferreira SRG. Atividade física no Diabetes tipo 1 e 2: Bases fisiopatológicas, importância e orientação. Tratamento do Diabetes: Abordagens Educacionais e de Alterações no Estilo de Vida. Em: e-book 2.0. Sociedade Brasileira de Diabetes Diabetes na prática clínica. Módulo 3 Cap 8. Brasília, Brasil; 2015. Módulo 3 - Capítulo 8.

Gonçalves HR, Gonçalves LA, Costa TA, Goulart MI. Associação entre IMC e Atividade Física em Adultos de Diferentes Níveis Socioeconômicos. Rev. Saúde e Pesquisa. 2011; 4(2): 161-8.

Interial MG, Campillo C, Aguilar I. Análisis comparativo del programa de educación en diabetes mellitus de México y Cuba. Rev Cuid. 2013; 4(1): 516-22. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v4i1.12

Codogno JS, Fernandes RA, Sarti MF, Freitas FI, Monteiro H. The burden of physical activity on type 2 diabetes public healthcare expenditures among adults: a retrospective study. BMC Public Health. 2011; 11(275): 1-7. https://doi.org/10.1186/1471-2458-11-275


Métricas de artículo

Cargando métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Copyright (c) 2018 Revista Cuidarte

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional.