Imagen de portada

Representações sociais da autonomia do enfermeiro para acadêmicos de enfermagem

Diego Bonfante Mota, Antonio Marcos Tosoli Gomes, Aline Cerqueira Santos Santana da Silva, Raquel de Souza Ramos, Virgínia Paiva Figueiredo Nogueira, Luísa dos Santos Belém

Resumen


Introdução: A autonomia profissional corresponde à realização de ações de enfermagem por meio da utilização de habilidades, conhecimentos e atitudes para tomar decisões e resolver situações no seu espaço de atuação. Objetivo: analisar as representações sociais da autonomia do enfermeiro para acadêmicos do último período de graduação em enfermagem de uma universidade federal. Materiais e Métodos: Estudo qualitativo, descritivo, exploratório delineado a partir da teoria das representações sociais em sua abordagem processual, realizada com 20 acadêmicos de enfermagem no último período de uma universidade federal localizada no estado do Rio de Janeiro. A coleta de dados se deu através de entrevistas semiestruturadas e a análise das produções discursivas pelo método de análise de conteúdo. Resultados: Foram construídas cinco categorias de análise. Discussão: Verificou-se que as representações sociais da autonomia profissional dos discentes de enfermagem encontram-se em processo de construção, tendo por fundamento o gerenciamento, as práticas invasivas e a consulta de enfermagem. A autonomia também se relaciona ao cuidado predominantemente individual. Conclusões: A representação da autonomia profissional está vinculada a tecnologias atuais e a dimensões históricas da profissão, bem como a necessidade de novos estudos para a compreensão do fenômeno.

Como citar este artigo: Mota DB, Gomes AMT, Silva ACSS, Ramos RS, Nogueira VPF, Belém LS. Representações sociais da autonomia do enfermeiro para acadêmicos de enfermagem. Rev Cuid. 2018; 9(2): 2215-32. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v9i2.528


Palabras clave


Educação em Enfermagem; Percepção Social; Autonomia Profissional; Cuidados de Enfermagem.

Referencias


Silveira CA, Paiva SMA. A Evolução Do Ensino De Enfermagem No Brasil: Uma Revisão Histórica. Cienc Cuid Saude. 2011; 10(1): 1-9. http://dx.doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v10i1.6967

Santos WN. Sistematização da assistência de enfermagem: o contexto histórico, o processo e obstáculos da implantação. J Manag Prim Health Care. 2014; 5(2):153-8.

Supametaporn P. The Conceptualization of Professional Nurse Autonomy. J Nurs Sci. 2013; 31(1): 1-6.

Fentanes LRC, Hermann AP, Chamma RC, Lacerda MR. Autonomia profissional do Enfermeiro: Revisão Integrativa. Cogitare Enferm. 2011; 16(3): 530-5.

Jodelet D. Social representations study and interlocution between knowledges in

a globalized space. Jakarta, University of Indonesia. In Permanadeli R, Jodelet D, Sugiman T, editors. Production of Knowledge and Social Representations. Jakarta, University of Indonesia, 2012. p: 1-17.

Gil AC. Como elaborar projetos de pesquisa. 6. ed. São Paulo: Atlas; 2017.

Jodelet D. A representação: noção transversal, ferramenta da transdisciplinaridade. Cadernos de Pesquisa. 2016; 46(162): 1258-71. https://doi.org/10.1590/198053143845

Cavalcante RB, Calix, TOP, Pinheiro, MMK. Análise de Conteúdo: considerações gerais, relações com a pergunta de pesquisa, possibilidades e limitações do método. Inf. & Soc.:Est. 2014; 24(1):13-8.

Câmara AG, Germano RM, Valença CN, Malveira FAZ, Pinto DPSR, Cossi MS. Motivations of students to study for nursing: between empathy and the job market. Rev enferm UFPE. 2014; 8 (2): 346-50.

Balem JGT, Lunardi VL, Bordigon SS, Barlem ELD, Lunardi Filho WD, Silveira RS, Zacarias CC. Opção e evasão de um curso de graduação em enfermagem: percepção de estudantes evadidos. Rev Gaúcha Enferm. 2012; 33(2): 1-9.

Andrade LDF, Porto SCAS, Lima ÉAR, Santos NCCB, Pinto MB, Medeiros HA. Abordagens pedagógicas na formação do enfermeiro gestor: concepção de discentes ingressantes. Revista da Universidade Vale do Rio Verde. 2016; 14(1): 323-32. https://doi.org/10.5892/ruvrd.v14i1.2476

Lima A, Lopes LCS, Soane AMNC, Fortes AFA. Egressos de enfermagem: potencialidades no processo de formação profissional para inserção no mercado de trabalho. Indagatio Didactica. 2017; 9 (4): 65-80.

Campos LRG, Ribeiro MMR, Depes VBS. Autonomia do graduando em enfermagem na (re)construção do conhecimento mediado pela aprendizagem baseada em problemas. Rev Bras Enferm. 2014; 67(5): 818-24. https://doi.org/10.1590/0034-7167.2014670521

Lunardi VLA. Sansão Normalizadora e o Exame: Fios Visíveis/Invisíveis na Docilização. In: Waldow VR, Lopes MJM, Meyer DE, editores. Maneira de Cuidar, Maneira de Ensinar - A Enfermagem Entre a Escola e a Prática Profissional. Porto Alegre: Arte Médica, 1995. p. 79-108.

Lima MM, Reibnitz KS, Kloh D, Vendruscolo C, Corrêa AB. Diálogo: rede que entrelaça a relação pedagógica no ensino prático- reflexivo. Rev Bras Enferm. 2016; 69(4): 610-7. https://doi.org/10.1590/0034-7167.2016690406i

Pires AS, Souza NVDO, Pena LHGP, Tavares KFA, D’Oliveira CAFB, Almeida CM. Undergraduation in the nursing school: an integrative review of literature. Rev Enferm UERJ. 2014; 22(5): 705-11.

Gomes AMT, Oliveira DC. O núcleo central das representações de enfermeiros acerca da enfermagem: O papel próprio da profissão. Rev Enferm UERJ. 2010; 18(3): 352-8.

Santos DB, Figueiredo KL, Horta NC. A integralidade e a prática do enfermeiro na estratégia saúde da família. Enferm. Rev. 2014; 17(1): 83-99.

Avila LI, Silveira RS, Lunardi VL, Fernandes GFM, Mancia JR, Silveira JT. Implications of the visibility of professional nursing practices. Rev Gaúcha Enferm. 2013; 34(3):102-9. https://doi.org/10.1590/S1983-14472013000300013

Georgiou E, Papathanassoglou EDE, Pavlakis A. Nurse-physician collaboration and associations with perceived autonomy in Cypriot critical care nurses. Nurs Crit Care. 2017; 22(1): 29-39. https://doi.org/10.1111/nicc.12126

Gomes AMT. A autonomia profissional da enfermagem em saúde pública: um estudo de representações sociais. Dissertação [Mestrado em Enfermagem] - Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro; 2002.

Santos ÉI, Gomes AMT, Marques SC, Ramos RS, Silva ACSS, Oliveira FT. Estudo comparativo sobre representações da autonomia profissional elaboradas por estudantes de enfermagem iniciantes e concluintes. Rev. Latino-Am. Enfermagem. 2017; 25: e2927. http://dx.doi.org/10.1590/1518-8345.1919.2927

Gomes AMT, Oliveira DC. Estudo da estrutura da representação social da autonomia profissional em enfermagem. Rev. Esc. Enferm. USP. 2005; 39(2): 145-53. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342005000200004

Santos ÉI, Alves YR, Gomes AMT, Silva ACSS, Mota DB, Almeida EA. Social representations of nursing by non-nursing health professionals. Online Braz J Nurs. 2016; 15(2): 146-56.

Dellaroza MSG, Tada CN, Haddad MCL, Vannuchi MTO, Maziero VG. O ensino de gerência em enfermagem na graduação: uma revisão integrativa. Semina: Ciências Biológicas e da Saúde. 2015; 36(1):149-58. https://doi.org/10.5433/1679-0367.2015v36n1Suplp149

Farah BF, Dutra HS, Sanhudo NF, Costa LM. Percepção de enfermeiros supervisores sobre liderança na atenção primária. Rev Cuid. 2017; 8(2): 1638-55. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v8i2.398

Santos EI, Alves YR, Gomes AMT, Silva ACSS, Mota DB, Almeida EA. Representações sociais da enfermagem elaboradas por profissionais de saúde não enfermeiros. Online Braz J Nurs (Online). 2016; 15(2): 1-15. https://doi.org/10.17665/1676-4285.20165294

Gomes AMT. O amor na enfermagem: uma aproximação a partir de Platão. Rev enferm UERJ. 2015; 23 (4): 441-2. https://doi.org/10.12957/reuerj.2015.19277

Silva RC, Finamore EC, Silva EP, Barbosa VJ. O papel do enfermeiro como educador e pesquisador, e a integração entre prática baseada em evidências e educação permanente. Percurso Acadêmico. 2015; 5(10): 417-30.


Métricas de artículo

Cargando métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Copyright (c) 2018 Revista Cuidarte

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional.