Imagen de portada

Efeitos da laserterapia no tratamento de lesões por pressão: uma revisão sistemática

Lucas de Oliveira Bernardes, Sonia Regina Jurado

Resumen


Introdução: As lesões por pressão acontecem por consequência de uma pressão aplicada sobre a pele durante um período prolongado de tempo e imobilização. Elas representam um dos principais problemas de saúde pública da atualidade, alcançando índices preocupantes e mortes evitáveis. O objetivo desse estudo foi estudar a eficácia da laserterapia no processo de cicatrização de lesões por pressão. Materiais e Métodos: Tratou-se de uma revisão sistemática da literatura realizada nas bases de dados SCIELO, LILACS e PUBMED e na Biblioteca Virtual de Dissertações e Teses da Universidade de São Paulo, entre os anos de 2001 e 2017, nas línguas portuguesa e inglesa, utilizando os seguintes descritores: Laserterapia, Laser de Baixa Potência, Úlcera por Pressão, Lesão por Pressão ou “Laser Therapy”, “Low Intensity Laser”, “Pressure Ulcer”, “Pressure Injury”. Resultados: Foram selecionados onze artigos científicos, dentre os quais podemos destacar que doses de 4 J/cm2 com comprimento de onda de 658 nm foram as mais eficazes no tratamento das lesões por pressão. Discussão: Alguns estudos têm encontrado a efetividade do uso do laser de baixa frequência na cicatrização de lesões por pressão. A técnica de aplicação a laser varia conforme as características das feridas, levando-se em conta o aspecto do leito e, principalmente sua dimensão. Conclusões: Enfatiza-se a necessidade dos enfermeiros se capacitarem em relação à laserterapia, visando ao tratamento das lesões por pressão pois, o laser de baixa potência representa um tratamento promissor para acelerar a cicatrização de feridas cutâneas.

Como citar este artigo: Bernardes LO, Jurado SR. Efeitos da laserterapia no tratamento de lesões por pressão: uma revisão sistemática. Rev Cuid. 2018; 9(3): 1-12. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v9i3.574


Palabras clave


Lasers; Cicatrização de Feridas; Lesão por Pressão.

Referencias


Lomba L, Bessa R, Santos S. Localização e medidas preventivas de úlceras de pressão em idade pediátrica: revisão integrativa da literatura. Rev Cuid. 2015; 6(2): 1085-93. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v6i2.169

Azevedo VS. Tratamento de úlceras de pressão com laser de baixa intensidade. Fisioter Bras. 2009; 10(2): 135-38.

Ruh AC, Frigo L, Cavalcanti MFXB, Svidnicki P, Vicari VN, Lopes-Martins RAB, et al. Laser photobiomodulation in pressure ulcer healing of human diabetic patients: gene expression analysis of inflammatory biochemical markers. Lasers Med Sci. 2018; 33(1): 165-71. http://dx.doi.org/10.1007/s10103-017-2384-6

Stefanello TD, Hamerski CR. Tratamento de úlcera de pressão através do laser AsGa de 904 nm - um relato de caso. Arq Ciên Saúde Unipar. 2006; 10(2): 99-103. http://doi.org/10.25110/arqsaude.v10i2.2006.273

Ortiz-Vargas I, García-Campos ML, Beltrán-Campos V, Gallardo-López F, Sánchez-Espinosa A, Montalvo MER. Cura húmeda de úlceras por presión. Atención en el ámbito domiciliar. Enferm Univ. 2017; 14(4): 243-50. http://dx.doi.org/10.1016/j.reu.2017.09.001

Costa MP, Sturtz G, Costa FPP, Ferreira MC, Barros Filho TEP. Epidemiologia e tratamento das úlceras de pressão: Experiência de 77 casos. Acta Ortop Bras. 2005; 13(3): 124-33. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-78522005000300005

Rocha JA, Miranda JM, Andrade JM. Abordagem terapêutica das úlceras de pressão - intervenções baseadas na evidência. Acta Med Port. 2006; 19: 29-38.

Laranjeira CA, Loureiro S. Fatores de risco das úlceras de pressão em doentes internados num hospital português. Rev Salud Pública. 2017; 19(1): 99-104. http://dx.doi.org/10.15446/rsap.v19n1.42251

Souza NR, Freire DA, Souza MAO, Melo JTS, Santos LV, Bushatsky M. Fatores predisponentes para o desenvolvimento da lesão por pressão em pacientes idosos: uma revisão integrativa. Estima. 2017; 15(4): 229-39. http://dx.doi.org/10.5327/Z1806-3144201700040007

Costa ACO, Pinho CPS, Santos ADA, Nascimento ACS. Pressure ulcer: Incidence and demographic, clinical and nutrition factors associated in intensive care unit patients. Nutr Hosp. 2015; 32(5): 2242-52. http://dx.doi.org/10.3305/nh.2015.32.5.9646

Sousa RG, Oliveira TL, Lima LR, Stival MM. Fatores associados à úlcera por pressão (UPP) em pacientes críticos: revisão integrativa da literatura. Univ Ci Saúde. 2016; 14; 1: 77-84. http://dx.doi.org/10.5102/ucs.v14i1.3602

National Pressure Ulcer Advisory Panel (NPUAP); European Pressure Ulcer Advisory Panel (EPUAP); Pan Pacific Pressure Injury Alliance (PPPIA). Prevention and treatment of pressure ulcers: clinical practice guideline. Perth, Australia: Cambridge Media; 2014.

Nogueira PC, Caliri MHC, Santos CB. Fatores de risco e medidas preventivas para úlcera de pressão no lesado medular. Experiência da equipe de enfermagem do HCFMRP-USP. Medicina. 2002; 35(1): 14-23. http://dx.doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v35i1p14-23

Loudet CI, Marchena MC, Maradeo MR, Fernández SL, Romero MV, Valenzuela GE. Diminuição das úlceras por pressão em pacientes com ventilação mecânica aguda prolongada: um estudo quasi-experimental. Rev Bras Ter Intensiva. 2017; 29(1): 39-46. http://dx.doi.org/10.5935/0103-507x.20170007

Galvão NS, Serique MAB, Santos VLCG, Nogueira PC. Knowledge of the nursing team on pressure ulcer prevention. Rev Bras Enferm. 2017; 70(2): 294-300. http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2016-0063

Castro LA, Assis GM. Impacto da avaliação de risco para úlcera por pressão na adesão da equipe a medidas preventivas recomendadas. Estima. 2017; 15(4): 200-6. http://dx.doi.org/10.5327/Z1806-3144201700040003

Busnardo VL, Biondo-Simões MLP. Os efeitos do laser hélio-neônio de baixa intensidade na cicatrização de lesões induzidas em ratos. Rev Bras Fisioter. 2010; 14(1): 45-51. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-35552010000100008

Assis GM, Moser ADL. Laserterapia em úlceras por pressão: limitações para avaliação de resposta em pessoas com lesão medular. Texto Contexto – Enferm. 2013; 22(3): 850-6. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072013000300035

Vidal-Ramos LA, Brito MM, Queiroz WWM, Santos D, Dias CAGM, Oliveira JCS, et al. A eficácia do laser de baixa potência na cicatrização de úlcera de decúbito em paciente diabético: estudo de caso. Biota Amazônica. 2014; 4(2): 74-9. http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v4n2p74-79

Linde K, Willich SN. How objective are systematic reviews? Differences between review son complementary medicine. J R Soc Med. 2003; 96(1): 17-22. https://doi.org/10.1177/014107680309600105

Santos CMC, Pimenta CAM, Nobre MRC. The PICO strategy for the research question construction and evidence search. Rev Latino-Am Enfermagem. 2007; 15(3): 508-11. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692007000300023

Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto – Enferm. 2008; 17(4): 758-64. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072008000400018

Moher D, Liberati A, Tetzlaff J, Altman DG, Group P. Preferred reporting items for systematic reviews and meta-analyses: the PRISMA statement. J Clin Epidemiol. 2009; 62(10): 1006-12. https://doi.org/10.1016/j.jclinepi.2009.06.005

Louro M, Ferreira M, Povoa P. Avaliação de protocolo de prevenção e tratamento de úlceras de pressão. Rev Bras Ter Intensiva. 2007; 19(1): 337-41. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-507X2007000300012

Abreu MA, Rolim VE, Dantas RCO. Ações de enfermagem para prevenção de úlceras por pressão em clientes em unidade de terapia intensiva. RPI. 2017; 2: 686-96. http://dx.doi.org/10.24219/rpi.v2i2.400

Rodríguez-Acelas AL, Canõn-Montañez WC. Contribuciones de las escalas en salud como herramientas que influencian decisiones en el cuidado de los pacientes. Rev Cuid. 2018; 9(1): 1949-60. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v9i1.498

Olkoski E, Assis GM. Aplicação de medidas de prevenção para úlceras por pressão pela equipe de enfermagem antes e após uma campanha educativa. Esc Anna Nery. 2016; 20(2): 363-9. http://dx.doi.org/10.5935/1414-8145.20160050

Medeiros ABF, Lopes CHAF, Jorge MSB. Análise da prevenção e tratamento das úlceras por pressão propostos por enfermeiros. Rev Esc Enferm USP. 2009; 43(1): 223-8. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342009000100029

Sorensen JL, Jorgensen B, Gottrup F. Surgical treatment of pressure ulcers. Am J Surg. 2004; 188(1): 42-51. http://dx.doi.org/10.1016/S0002-9610(03)00290-3

Vaghardoost R, Momeni M, Kazemikhoo N, Mokmeli S, Dahmardehei M, Ansari F, et al. Effect of low-level laser therapy on the healing process of donor site in patients with grade 3 burn ulcer after skin graft surgery (a randomized clinical trial). Lasers Med Sci. 2018; 33(3): 603-7. http://dx.doi.org/10.1007/s10103-017-2430-4

Feitosa MCP, Carvalho AFM, Feitosa VC, Coelho IM, Oliveira RA, Arisawa EAL. Effects of the Low-Level Laser Therapy (LLLT) in the process of healing diabetic foot ulcers. Acta Cir Bras. 2015; 30(12): 852-7. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-865020150120000010

Joppert D, Machado D, Silveira LM, Kale Júnior N, Goulart R, Mello M, et al. Fechamento de úlceras de pressão em pacientes com lesão medular: proposta terapêutica. Fisioter Bras. 2011; 2(4): 303-9.

Cullum N, Nelson EA, Flemming K, Sheldon T. Systematic reviews of wound care management: beds, compression, laser therapy, therapeutic ultrasound, electrotherapy and electromagnetic therapy. Health Technol Assess. 2001; 5(9): 1-221. http://dx.doi.org/10.3310/hta5090

Palagi S, Severo IM, Menegon DB, Lucena AF. Laser therapy in pressure ulcers: evaluation by the pressure ulcer scale for healing and nursing outcomes classification. Rev Esc Enferm USP. 2015; 49(5): 826-33. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-623420150000500017

Siqueira FCHN, Reinert TC, Correa KP, Kotz JC, Bertolini GRF. Uso do laser de baixa intensidade, AsALGa, 830 nm, em pacientes portadores de úlceras de pressão. Reabilitar. 2004; 6(23): 10-15.

Kitchen S. Eletroterapia: Prática baseada em evidências. 11ª ed. São Paulo (SP): Manole; 2003.

Carvalho P, Mazzer N, Siqueira JF, Ferreira VJ, Silva IS. Análise de fibras de colágeno através da morfometria computadorizada em feridas cutâneas de ratos submetidos a irradiação do laser HeNe. Fisioter Bras. 2003; 4(4): 253-8.

Andrade FSSD, Clarck RMO, Ferreira ML. Efeitos da laserterapia de baixa potência na cicatrização de feridas cutâneas. Rev Col Bras Cir. 2014; 41(2): 129-33. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-69912014000200010

Araújo AR, Chaves MEA, Tizon AFF, Silva DB, Piantino LL, Assis GM, Moser ADL. Tratamento de úlceras de decúbito com laser de baixa intensidade. Fisioter Bras. 2009; 10(2): 135-43.

Taradaj J, Halski T, Kucharzewski M, Urbanek T, Halska U, Kucio C. Effect of laser irradiation at different wavelengths (940, 808, and 658 nm) on pressure ulcer healing: results from a clinical study. Evid Based Complement Alternat Med. 2013; 23: 1-8. http://dx.doi.org/10.1155/2013/960240

Chen C, Hou WH, Chan ES, Yeh ML, Lo HL. Phototherapy for treating pressure ulcers. Cochrane Database Syst Rev. 2014; 11(7): 1-42. http://dx.doi.org/10.1002/14651858.CD009224.pub2

Lucas C, van Gemert MJ, de Haan RJ. Efficacy of low-level laser therapy in the management of stage III decubitus ulcers: a prospective, observer-blinded multicentre randomised clinical trial. Lasers Med Science. 2003; 18(2): 72-7. http://dx.doi.org/10.1007/s10103-003-0259-5

Moura CEM, Silva LLM, Godoy JRP. Úlceras de pressão: prevenção e tratamento. Univ Ci Saúde. 2005; 3(2): 275-86. http://dx.doi.org/10.5102/ucs.v3i2.560

Machado RS, Viana S, Sbruzzi G. Low-level laser therapy in the treatment of pressure ulcers: systematic review. Lasers Med Science. 2017; 32(4): 937-44. http://dx.doi.org/10.1007/s10203-017-2150-9

Vieira MB, Ortiz DA. Aplicação do laser ALGaInP de 660 nm em úlcera de pressão grau 3: Relato de Caso. Congrega Urcamp. 2010; 11: 2-7.

De Bortoli I, Prato AL, Kroth A. A efetividade do laser associado a diferentes tipos de curativos na cicatrização de úlceras de pressão. Evidência. 2016; 16(1): 45-58. http://dx.doi.org/10.18593/ebav16il.9774

Carvalho PTC, Marques APC, Reis FA, Belchior ACG, Silva IS, Habitante CA, et al. Photodynamic inactivation in vitro bacterial cultures from pressure ulcers. Acta Cir Bras. 2006; 21(4): 32-5. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-86502006001000008

Agne JE. Eu sei eletroterapia. Santa Maria (RS): Pallotti; 2009.


Métricas de artículo

Cargando métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Copyright (c) 2018 Revista Cuidarte

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional.